Jogos de Poder e Dinâmica de Grupos, Como usar na Sua Campanha Eleitoral

Share Button

Jogos de Poder e dinâmica de grupos facilita a compreensão das forças que estão presentes na sociedade e principalmente na política. Muito além de curtidas e seguidores nas redes sociais, um candidato ou político deve observar esses fatores. Você sabe como?

Jogos de Poder e Dinâmica de Grupos na Campanha Eleitoral Evaldo Bazeggio Marketing Digital Eleitoral

Por exemplo, a Câmara Federal. Tem momentos em que as coisas fluem e os projetos são discutidos, analisados e votados. Os diversos subgrupos atuam em sinergia, gerando MOVIMENTO (Dinâmica). Entretanto, em outros momentos há obstrução, exercício de autoritarismo, barganhas espúrias e outras coisas mais. Isso gera muitos jogos, os chamados JOGOS DE PODER. Em outras palavras, a disputa entre a velha e a nova política.

O importante é saber de imediato que os MOVIMENTOS são construtivos e os JOGOS tendem a desgastar e destruir os sistemas.

Estudar Dinâmica de Grupo significa compreender quais as forças funcionam em um grupo de duas ou mais pessoas. Esses grupos são nossas famílias, equipes, empresas, órgãos públicos, municípios, estados ou países. Vamos recorrer em conceitos desenvolvidos na metodologia ISOR (R) para compreender melhor isso. Esses conceitos são usados em MENTORIA E COACHING.

Na campanha eleitoral o candidato vai se defrontar com isso nos partidos, nas equipes que constituir, nos projetos sociais – em todo e qualquer grupo que estiver envolvido.

Três Subgrupos Característicos

Em cada agrupamento de pessoas, vamos sempre encontrar três subgrupos característicos.

Num partido político, por exemplo, observa-se claramente esses três subgrupos. Um pequeno grupo, normalmente entre 15 e 20% das pessoas, é dirigente e conta com ajuda de alguns alinhados de primeira viagem. Exercem normalmente a liderança.

Um outro grupo – menor do que esse – é crítico a busca fazer um contraponto ao que é proposto pelos dirigentes. Busca inovar, sugerir, criar.

Por sua vez a grande maioria das pessoas, entre 75 e 80% assume uma postura mais contemplativa, mais oscilante. Não deixam claro de imediato seus idéias e necessidades. Isso se repete em qualquer área que você observar.

De onde vem isso?

Quando se formam grupos ou sociedades forma-se uma energia correspondente, e esta energia se polariza em três polos – positivo, negativo e neutralizador.

Todo grupo funciona como um organismo vivo que se auto equilibra para permitir que exista e sobreviva ao longo do tempo. Por isso compreender como é a dinâmica de grupo, é entender a dinâmica da convivência humana.

É relevante compreender que essa dinâmica é ativada pelo campo energético, que chamamos de tensor, que se tensiona entre dois pólos: o primeiro em torno da polaridade ordenadora, o segundo em torno da polaridade transformadora. O resultado é um terceiro movimento equilibrador de oscilância entre os dois pólos.

Como os grupos são divididos?

O primeiro desses polos é o OFICIAL – organizador, coordenador, condutor. Assume a ordem e o comando do grupo. É o agrupamento de pessoas encarregado de fazer o grupo funcionar em direção a seus objetivos, organizando o tempo e as funções das necessidades do momento.

O segundo é o polo NATURAL – inovador, questionador, transformador, atento a tudo o que tende a se esgotar. Busca preparar o grupo para a reformulação. Para exercer seu poder geralmente tem uma postura crítica em relação às proposições do polo OFICIAL.

O terceiro é o polo OSCILANTE – moderador das tensões entre o oficial e o natural. Pende ora para o movimento oficial para para o natural, tornando-se conciliador e permitindo articulações.

Com isso, temos então os três movimentos que atuam na dinâmica de grupo: OFICIAL, NATURAL e OSCILANTE.

Entretanto os grandes impasses em que mergulha a sociedade em sua dinâmica política ou social, acontecem em função do desequilíbrio provocado pelo JOGO DE PODER, que quebra a harmonia dinâmica das polaridades. Os ditadores chegam a matar seus opositores.

Quando o impasse aparece e o pau quebra, se manifestam os jogos de poder

O Subgrupo oficial concentra energia e faz o JOGO DA DOMINAÇÃO, se transformando em autoritário, ditador, paternalista, legalista, encampador, castrador, coercivo, repressor, e auto-canonizador.
Adora ser bajulado. Por exemplo, se você observar os ditadores ou ditos DONOS DO PODER, verá que praticam este jogo. Pode acontecer num partido político que tem uma patota dominadora histórica e não permite ninguém participar da direção. Pode ser numa sociedade, clube ou conselho profissional que os mesmos indivíduos exercem o poder há décadas.

Isto gera tensões do lado natural, à medida que não encontra espaço para suas proposições e questionamentos, à medida que é barrado pelo subgrupo oficial. O lado natural tende a entrar também em JOGO DE CONTESTAÇÃO, partindo para a oposição, tornando-se contestador, obstrutor, anárquico, virulento, insuflador e divisionista. Em outras palavras, vai buscar alguma forma, legal ou não, de derrubar o oficial para se pôr no seu lugar.

Esta polarização de jogo de poder entre o oficial e o natural afeta diretamente o lado oscilante. Por consequência, passa a ser disputado pelos dois lados, pois ele é o peso que faz pender a balança. Normalmente será acionado para formar massa crítica. E trata de tirar proveito disso, fazendo o JOGO DA SUBORDINAÇÃO.  Suas características são: oportunista, volúvel, barganhador, adulador, omisso, promovendo aplausos ou reclamações, e jogando na conveniência, tendendo a se bandear do lado oficial, onde em geral está, para o lado natural, ameaçando uma reordenação do sistema.

Em consequência, aquilo que era MOVIMENTO energético grupal passa a ser JOGO. Os critérios de respeito e boas relações são substituídos por normas e leis, normalmente inócuas e descumpridas.

Se os jogos perdurarem o sistema entra em desgaste e destruição

Podemos observar, por exemplo, as votações do Brexist no parlamento mais antigo do mundo, na Inglaterra, em que os subgrupos não conseguem entrar em movimento.

De forma similar, na câmara de vereadores de um município, se os JOGOS estiverem presentes o tempo todo, a tendência é de desgaste e de perda de autoridade.
Por exemplo, o impeachment de um governante normalmente se inicia com a incapacidade do líder de formar um movimento com o grupo oscilante, sendo engolido pelas idéias do subgrupo natural.

Concluindo, recomenda-se ao candidato estrategista que identifique claramente quem são os componentes de cada subgrupo. Caso necessite de massa crítica deverá buscar pessoas do subgrupo oscilante.
Entretanto, se o candidato não faz parte do subgrupo oficial é preferível se posicionar como NATURAL, exercendo papel de inovador, sendo criativo em relação às propostas daqueles que são OFICIAIS.
Por outro lado, se já pertencer ao polo OFICIAL deve ser cuidadoso para gerar movimentos. Será inevitável que o grupo possa entrar em JOGO, mas o movimento é construtivo e o jogo é destrutivo.

Este conteúdo ajudou você?

Deixe um comentário, no espaço abaixo,  com sua dúvida.
Será um prazer responder sua pergunta!

Jogos de Poder e Dinâmica de Grupos na Campanha Eleitoral Evaldo Bazeggio Marketing Digital Eleitoral

23 Comentários


  1. Muito legal esse texto!
    Nunca tinha pensado sobre essas dinâmicas de grupos e as consequências dos jogos de poder
    Sabemos que existe mas não enxergamos esses movimentos
    Agora entendendo como os grupos se comportam é possível se antecipar e construir o meu próprio sistema
    Parabéns ao colunista Evaldo Bazeggio
    Vou acompanhar sempre vocês!!

    Responder

    1. Obrigado pelo retorno Patrícia,

      O Professor Evaldo é um grande parceiro e especialista em mentoria política eleitoral

      Continue acompanhando nossos artigos semanais ok?

      Sucesso!

      Responder

    2. Obrigado Patrícia pelo contato. Fique atenta aos movimentos e jogos na política. Você vai aprender ainda mais. Abs.

      Responder

  2. gostei mto!!! vcs estaõ num nivel mto alto alem do papo furado de marketeiros e institutos de pesquisas . as forças dominantes sao uma realidade na estrutura do poder…..vou aplicar agora na minha campanha

    Responder

    1. Obrigado pelo retorno Rogério,

      Realmente esse tipo de estratégia não é abordado pela maioria dos profissionais de marketing político e muito menos agências

      São detalhes que o professor Evaldo Bazeggio já expõe a muitos anos em suas mentorias

      Continue acompanhando nossos artigos semanais

      Sucesso!

      Responder

    2. Valeu Rogério… uma sugestão adicional: comece a observar com cuidado o que acontece no poder… você vai aprender e entender mais facilmente o que está ocorrendo. abs.

      Responder

  3. Eu assisti no dia essa brilhante aula do professor Evaldo e comecei a identificar que o comportamento aqui no meu município ocorre dessa forma que foi abordada seja dinâmicas seja jogo de poder e que embora as eleições estejam longe as articulações e o jogo já está acontecendo. Anderson você contribui muito para as campanhas, cada dia mais motivado e preparado com o Marketing Digital eleitoral.

    Responder

    1. Olá Ítalo, obrigado pela sua participação. Obrigado pela referência à nossa aula. De fato, o comportamento humano em grupos é muito similar, independente da natureza e da finalidade deles. É importante você manter uma observação constante e aprender com isso. Quando você precisar atuar, estará preparado. Não esqueça, os jogos são predominantemente destrutivos e os movimentos são construtivos. Abs. Evaldo bazeggio.

      Responder

    2. Obrigado pelo retorno Ítalo,

      O seu depoimento mostra que estamos no caminho certo, ajudando candidatos, políticos e profissionais de diversas áreas a construírem projetos políticos de sucesso!

      Continue acompanhando os posts semanais. O professor Evaldo Bazeggio estréia hoje a coluna Mentoria Política Eleitoral.

      Sucesso!

      Responder

  4. Parabéns Evaldo!

    Aprendi muito com seu artigo.

    A gente observa esses movimentos no dia a dia da política, mas não sabia que isso poderia ser estudado e analisado de forma estruturada.

    Aguardamos ansiosamente o próximo artigo.

    Um Abraço!

    Responder

    1. Valeu Robson! Nos últimos anos o comportamento humano está sendo muito estudando com o uso de neurociência, física quântica, psicologia positiva e outros meios. Assim, os cientistas nos dão preciosas dicas para conhecermos melhor a dinâmica e o funcionamento das pessoas. Um abraço,

      Responder

  5. muito bom, espero futuramente contactar com voces pois atuo no direito eleitoral ha alguns anos, no PARÁ..

    Responder

    1. Valeu Emanuel. Ao tempo que desejo sucesso na sua jornada, me coloco à disposição, como colunista, a contribuir no que estiver ao meu alcance. Conto com sua divulgação de nosso blog. Ab.

      Responder

  6. parabens pessoal!!!
    ja li muito blog por ai de politica e campanha eleitoral mas o de vvoces e o melhor de todos!!
    onde posso saber mais sobre essas dicas??
    obrigado

    Responder

    1. Excelente artigo, parabéns!

      Infelizmente, o jogo do poder é uma realidade não só na política, mas em todo contexto da sociedade, seja no partido, na associação, no clube de futebol, nos movimentos sociais e etc. A diferença consiste na capacidade de o ser humano saber lidar com essas características e diferenças criando mecanismos para somar e quando necessário criar seu próprio sistema.

      Não é fácil lidar com o jogo do poder, principalmente, nos pequenos municípios que as pessoas respiram política 24h.

      Enfim, excelente artigo esclarecedor que ajuda de certa forma a reconhecer cada grupo e subgrupo na escalada dos jogos de poder.

      Responder

  7. É muito importante efetuar um trabalho buscando o bem comum, nem sempre o coletivo político vai abraçar a ideia, pois existe o jogo do interesse, se não for “lucrarivo” pra mim não mim importa, mesmo que a população esteja carente deste projeto, desta lei.

    Agradecido pelo espaço

    Leandro Lubritintas

    Responder

    1. Obrigado pelo retorno Rogério,

      Agora é colocar em prática e verificar os resultados na sua campanha ok?

      Continue acompanhando as dicas semanais do nosso blog

      Sucesso!

      Responder

  8. Excelente texto, claro e objetivo.
    Parabéns e obrigado por nos disponibilizar esses ótimos conteúdos.Se

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.